Ópera Serra da Capivara: Cores, luzes e sons criam um mundo surreal no semiárido

Edição 2018 do Festival Ópera da Serra da Capivara marca o público com espetáculo em homenagem aos índios Krahô.

Um misto dos espetáculos de carnaval que acontecem no Sambódromo da Marquês de Sapucaí, no Rio de Janeiro, com o Festival Folclórico de Parintins, na Amazônia, representados em um pequeno palco circular no meio do sertão, pode sintetizar o show de cores, luzes, sons e danças que anualmente marca a abertura das três noites do festival Ópera da Serra da Capivara, que tem patrocínio da Caixa Econômica Federal e é organizado pelo Governo do Piauí através da Secretaria Estadual de Cultura com autorização do ICMBio e da Fundação Museu do Homem Americano, no anfiteatro da Pedra Furada, no Parque Nacional da Serra da Capivara, no Piauí.

Na edição 2018 os organizadores do evento liderados pela jornalista Sádia Castro e pelo diretor-artístico Felipe Guerra, homenagearam as tribos indígenas que ocuparam o Piauí no passado e que são responsáveis pela forte tradição indígena que marca nossa culinária, festas, crenças, hábitos de sobrevivência e imensa herança cultural – da pré-história aos dias atuais. Uma festa que, de certa forma, reconheceu a importância e tamanha riqueza de nossas etnias indígenas com muita magia num ambiente natural “sagrado”.

Confira um pouco do mistério da festa de luz no mítico anfiteatro da Pedra Furada através do ensaio fotográfico de André Pessoa. (Agência Raízes do Piauí).

Para conhecer melhor o trabalho de André Pessoa, veja os sites:

www.flickr.com/photos/andrepessoa
www.flickr.com/photos/imagensdanatureza
www.outrosbrasis.com.br

Deixe sua opnião