Em entrevista, Ciro fala sobre o mandato e sobre o futuro do Piauí

    Em entrevista a uma emissora de TV nesta segunda-feira (06), o senador Ciro Nogueira (Progressistas) fez um balanço do seu mandato no Senado e falou sobre as expectativas para o pleito que se aproxima.

    O parlamentar destacou seu trabalho na destinação de recursos e intermediação junto aos órgãos do governo federal para o desenvolvimento do Piauí, especialmente nas áreas de saúde e infraestrutura. Ciro afirmou que seu maior discurso tem sido apresentar à população os avanços conseguidos graças ao seu trabalho no Senado.

    “Muita gente passa pela ponte Anselmo Dias e não sabe que foi o senador Ciro [quem viabilizou], muitas pessoas andam nos terminais de integração, nas avenidas e não sabem. Eu apresentei um volume de recursos que jamais aconteceu no estado. Alguém pode dizer que eu não trabalho? Quem trouxe mais recursos para o estado do que eu? Tenho certeza de que ninguém pode dizer isso”, destacou.

    A respeito da atual situação econômica do Piauí, Ciro afirmou que, com grande esforço, o estado é um dos poucos na federação que está conseguindo cumprir com suas obrigações sem atrasar salários dos servidores públicos. Com a sua atuação em favor do envio de recursos, mais de 80% das prefeituras puderam manter em dia os salários do funcionalismo sem afetar a execução dos investimentos públicos.

    O senador também observou o comportamento dos que demonstram torcer para que

    a situação econômica piore. “Torcer pelo atraso de salários do estado? Esse é o pior de oposição que existe, mas para tristeza de muitas pessoas que torcem contra o Piauí, os salários continuarão em dia”, afirmou.

    Sobre o foco em um próximo mandato, Ciro informou que deverá expandir o trabalho de envio de recursos que tem feito até aqui. “Em meu primeiro mandato ajudei todos os 224 municípios. Ajudei a prefeitura de Teresina como jamais houve na história dela. O que é que falta? As obras estruturantes. Quero focar nessas grandes obras que o Piauí precisa”, explicou.

    O senador revelou que estará nesta terça-feira no ministério da Integração em uma reunião com os órgãos competentes para viabilizar a conclusão da Transnordestina. Perguntado sobre como iria conciliar o restante do mandato de senador com as demandas de campanha, o senador foi categórico: o trabalho vem em primeiro lugar. “Entre fazer campanha e trabalhar pelo Piauí, eu opto por trabalhar pelo Piauí”, afirmou.

    Deixe sua opnião