Sul e Sudeste: maior proporção de benefícios por tempo de contribuição do país

21

SP, RJ, SC, RS, PA, MG e ES são os estados com maior proporção de aposentadorias por tempo de contribuição: 41%, 38%, 38%, 36%, 29%, 27% e 26% do gasto do RGPS, respectivamente. Alguns estados da região também concentram maior taxa de beneficiários frente à população total: 22% em RS, 20% em SC e 17% em MG.

Estados do Sul e Sudeste têm atualmente os maiores percentuais de benefícios por tempo de contribuição pagos no Regime Geral (RGPS). Os dados por estado estão compilados neste infográfico interativo e compreendem, também, valor médio per capita e valor de cada tipo de benefício, rural ou urbano. São Paulo, Rio de Janeiro e Santa Catarina são os estados com maior proporção de benefícios por tempo de contribuição frente ao orçamento do RGPS:  41%, 38% e 38%, respectivamente.

Estão também entre os estados que têm as maiores taxas recebimento de benefícios previdenciários frente à população total – no Rio Grande do Sul, 22% da população recebem benefícios previdenciários, enquanto em Santa Catarina e em Minas Gerais esses números são de 11% e 17%, respectivamente. No Amapá, menor taxa nacional, esse número é de 4% (dados de 2018).

Os valores per capita também estão entre os maiores do Brasil (à exceção do DF) – R$ 1.564 em São Paulo, R$ 1.500 no Rio de Janeiro e R$ 1.301 em Santa Catarina. Para efeitos de comparação com estados que detêm menor benefício per capita, o benefício médio no Maranhão é de R$ 896 e, de R$ 941 no Piauí e R$ 962 em Tocantins.

Essas diferenças estão associadas aos níveis históricos de industrialização e desigualdades regionais presentes no país. Em estados mais ricos e industrializados, os trabalhadores tendem a se aposentar antes (por tempo de contribuição) e com valores maiores, o que acabará com a Reforma da Previdência em tramitação no Senado. Os estados com menor gasto proporcional com aposentadorias por idade, associada aos trabalhadores mais pobres, são Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, com respectivamente 16%, 17%, 19% e 22%.

Veja os dados completos e mais detalhes do que mudou com a Reforma da Previdência neste infográfico interativo.

Deixe sua opnião