Governo descentraliza serviços na Saúde; Lacen será ampliado para mais quatro cidades

O Governo do Estado lançou nesta segunda-feira (26) o Plano de Expansão de Vigilância em Saúde com o objetivo de descentralizar os serviços de saúde para outros municípios e fortalecer a atenção primária no Piauí. Para que o conjunto de ações propostas sejam efetivadas, será feito um incremento de R$ 250 milhões na pasta da saúde. A solenidade aconteceu na sede do Palácio de Karnak e contou com a presença do governador Rafael Fonteles (PT) e do secretário de Saúde, Antônio Luiz.

De acordo com o secretário da pasta, parte do recurso é oriundo de uma operação de crédito com o Banco Mundial. Já a outra parte será investida, por meio de recursos próprios.

continua depois da publicidade

“Esse programa de expansão vai investir mais de R$ 250 milhões nessa gestão do governador Rafael Fonteles. Grande parte desse valor será do Banco Mundial, que ainda há um projeto em andamento, outra parte de do dinheiro, em torno de R$ 95 milhões será com dinheiro do tesouro e que envolve também emendas parlamentares”, declarou.

Na prática, entre as ações do plano estão a reforma e ampliação de regionais de saúde, além da descentralização do Laboratório Central de Saúde Pública do Estado do Piauí (Lacen), para as cidades sedes de macrorregião como Parnaíba, Picos, Floriano e também para a cidade de Bom Jesus, devido à distância e o vazio assistencial.

“A baixa complexidade envolve a prevenção das doenças. Envolve laboratórios para descobrir bactérias que poderão ser combatidas com vacinas, veículos do IML para transportar pessoas mortas, serviços odontológicos, veículos para apoio à vacinação nos municípios. São vários serviços que não são necessariamente hospitais, mas que ajudam na prevenção de doenças”, explicou.

Rafael Fonteles afirmou que o governo está investindo em uma área que esteve em segundo plano por muito tempo. Segundo ele, mesmo com as cobranças constantes por melhorias nos hospitais, o governo entende a importância de investir em outras áreas da saúde. O objetivo é garantir que sejam oferecidos serviços de qualidade em todas as áreas, desde a prevenção até o tratamento de doenças mais complexas.

“Essa parte da vigilância em saúde é muitas vezes negligenciada. É de responsabilidade dos municípios, mas é a Sesapi e o Governo Federal que coordenam. Somos responsáveis pela regionalização. Normalmente, o governo foca na tentativa de melhoria dos hospitais, porque é o cai na nossa conta. Mas, quem entende de SUS sabe que temos que investir em atenção primária. É como diz a sabedoria popular, é melhor prevenir do que remediar”, disse.

O governador prometeu um “grande avanço” em serviços auxiliares da atenção básica no Piauí. “Esses 260 milhões vão ajudar a salvar mais vidas do que os 600 milhões que colocamos para os hospitais”, avaliou.

Verificação de óbitos

De acordo com informações do governo, o Serviço de Verificação de Óbitos (SVO) também será regionalizado. Todas as sedes de macrorregiões serão beneficiadas, além da reforma do SVO de Teresina.

Reabilitação

O Governo do Estado vai ainda expandir e regionalizar os serviços de reabilitação. Serão instalados Centros Especializados em Reabilitação tipo 4, os CERs, em todas as macrorregiões, beneficiando as cidades de Teresina, Parnaíba, Picos e Floriano.

Cidades polos do estado como Pio IX, Bom Jesus, São Raimundo, entre outras, ganharão CERS tipo 2. Os CERs são pontos de referência para a Rede de Atenção à Saúde da Pessoa com Deficiência e têm a finalidade de realizar diagnósticos e tratamentos.

Os Centros de Especialidades Odontológicas (CEO) tipo 3 também vão chegar às sedes das macrorregiões como Parnaíba, Picos, Floriano, além de Teresina e Bom Jesus.

Paula Sampaio

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo