Extraditado, ex- estudante de medicina condenado por estupro chega ao Piauí

O ex-estudante de medicina Marcos Vitor Aguiar Dantas, condenado a mais de 33 anos por estuprar a irmã e uma prima, chegou ao Piauí na madrugada desta quinta-feira (09) para cumprir sua pena. A TV Cidade Verde acompanhou com exclusividade o desembarque do ex-estudante no Aeroporto de Teresina.

Marcos Vitor chegou da Argentina, onde foi preso no dia 19 de janeiro, em um voo comercial acompanhado por policiais federais por volta das 3h da madrugada. Do aeroporto, ele foi levado para o Instituto de Medicina Legal (IML) e conduzido em seguida para a Central de Flagrantes de Teresina, onde aguarda por audiência de custódia.

Marcos Vitor foi condenado por estuprar a irmã de 9 anos e uma prima, de 12 anos. No processo, ele foi denunciado por estuprar também outra irmã de 3 anos, mas foi inocentado. Após ser considerado foragido, a polícia já cogitava a possibilidade dele estar em outro país.

O ex-estudante de medicina Marcos Vitor Aguiar Dantas foi localizado e preso na cidade de Mar del Plata, na Argentina. Ele estava foragido desde outubro de 2021 e havia adotado o nome falso de Pedro Saldanha e trabalhava em um restaurante no país vizinho.

Em entrevista ao Notícia da Manhã, o superintendente de Operações Integradas da Secretária de Segurança Pública do Piauí, delegado Matheus Zanatta, ressaltou que o processo de extradição do ex-estudante foi bastante rápido.

“Ele foi preso no dia 19 de janeiro no Mar da Plata e nós começamos, juntamente com a Polícia Federal e também com as autoridades argentinas todo um processo burocrático de extradição e esse processo foi muito rápido, em menos de dois meses, o judiciário da Argentina autorização essa extradição e a Polícia Federal foi fazer esse recambiamento, buscou ele na Argentina e trouxe para Teresina e as 2h45 da manhã, o Marcos Vitor chegou a Teresina. Ele é condenado a 33 anos de prisão por estupro de vulnerável da irmã e da prima e agora vai cumprir a sua pena aqui no território brasileiro”, disse o delegado.

Ainda de acordo com Matheus Zanatta, a audiência de custódia do ex-estudante deve acontecer às 9h de hoje, em que será definido o local do presídio que Marcos Vitor cumprirá sua pena.

“Hoje, por volta das 9h da manhã, ele vai passar por audiência de custódia para o juiz verificar a legalidade da sua prisão e ao final da audiência de hoje eles devem determinar para qual penitenciária do Piauí que ele vai, ele pode ir tanto para a penitenciária de Teresina, como a de São Raimundo Nonato ou para a penitenciária de Teresina, o que vai determinar é a autoridade judiciária”, acrescentou o superintendente.

O superintendente de Operações Integradas acrescentou também que outros processos contra Marcos Vitor estão em análise na Justiça e que pode ocorrer novas condenações. Apesar da condenação de 33 anos, o ex-estudante poderá ficar preso em regime fechado por 12 anos.

“Ele responde por outros processos que estão ainda sob análise do poder judiciário e pode ser que venha novas condenações em outros casos, mas nós estamos esperando ainda a finalização desses processos criminais. Ele pode ficar preso aproximadamente uns 12 anos no regime fechado para depois ele ganhar a liberdade”, informou Matheus Zanatta.

O caso

Marcos Vitor Aguiar Dantas foi condenado a 33 anos oito meses e sete dias de prisão em regime fechado pelo estupro de duas meninas, uma delas sua irmã.

Pelo estupro da irmã, Marcos Vitor foi condenado a 23 anos e quatro meses e pelo estupro da prima a condenação foi de 10 anos, quatro meses e sete dias. Na decisão do juiz, o estudante foi absolvido de uma terceira denúncia de estupro, também contra outra irmã.

O caso, que foi investigado pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), ganhou repercussão nacional e chocou o país.

As denúncias contra o ex-estudante foram encaminhadas à polícia em agosto de 2021. As violências sexuais ocorriam, diz a mãe de uma das vítimas, quando Marcos Vitor tinha oportunidade de ficar sozinho com as meninas, inclusive durante viagens familiares.

Em depoimento, a mãe informou que por causa dos abusos, sua filha teve depressão, se automutilou e tentou suicídio.

 

Rebeca Lima e Tiago Melo 

 

Publicidade

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo