Caravana Federativa: Lula e ministra das Mulheres vão anunciar investimentos no Piauí

O presidente Lula (PT) e a ministra das Mulheres, Cida Gonçalves, devem anunciar importantes investimentos no Piauí nesta sexta-feira (21), durante o encerramento da Caravana Federativa, que está ocorrendo no Centro de Convenções de Teresina.

A Caravana Federativa é um evento itinerante do governo federal que apresenta ações de cidadania e programas governamentais aos gestores públicos e parlamentares locais. Segundo o Governo do Piauí, o presidente Lula visitará Teresina para anunciar investimentos nas áreas portuária e de transformação digital, além de cessões da Secretaria do Patrimônio da União (SPU), do Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos. Lula participará do encerramento por volta das 11h30 de sexta-feira.

continua depois da publicidade

Já a ministra Cida Gonçalves, do Ministério das Mulheres, deve assinar um acordo de cooperação técnica para a implementação de cota para mulheres em situação de violência nas contratações públicas federais.

O decreto nº 11.430/23, editado pelo presidente Lula, prevê que, nos contratos de serviços contínuos com mão de obra dedicada da administração pública federal direta, autarquias e fundações com um quantitativo mínimo de 25 colaboradores/as, os licitantes assegurem a destinação do percentual mínimo de 8% dos postos de trabalho para mulheres em situação de violência doméstica e familiar. As vagas incluem mulheres trans, travestis e outras identidades de gênero feminino e deverão ser prioritariamente destinadas às mulheres pretas e pardas.

Também deve ser anunciado o investimento de R$ 1,3 milhão para construção de duas lavanderias comunitárias nas cidades de Teresina e Parnaíba. As lavanderias serão construídas com o objetivo de serem espaços geridos por mulheres. Em Teresina, a lavanderia ficará na Rua Coelho Rodrigues, no bairro Centro, e envolverá oito bairros da região centro-sul e centro-norte. Em Parnaíba, funcionará na Avenida Presidente Getúlio Vargas, no bairro Centro.

“Os critérios são que as mulheres estejam em situação de vulnerabilidade. A lavanderia é autogestionada, então, no primeiro momento, existe o investimento do Estado, mas é um espaço que será gerido por essas mulheres, possivelmente por meio de uma associação. Estamos avaliando a melhor forma”, explicou a secretária das Mulheres, Zenaide Lustosa.

Além da estruturação das lavanderias, a ideia é promover a formação de mulheres em economia feminista, divisão sexual do trabalho, economia solidária, técnicas de lavagem e cuidados com as roupas, noções de gestão de negócios e empreendedorismo.

Os projetos estão em fase de licitação, com previsão de entrega no primeiro semestre de 2025.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo