Niède Guidon recebe título de Doutora Honoris Causa

    A solenidade foi realizada no anfiteatro da Pedra Furada, em São Raimundo Nonato.

    O anfiteatro da Pedra Furada, no Parque Nacional Serra da Capivara, considerado Patrimônio Histórico da Humanidade, foi o cenário escolhido para homenagear a arqueóloga Niède Guidon com o título de Doutora Honoris Caus. A vice-governadora Margarete Coelho esteve presente à solenidade que ocorreu na noite desta sexta – feira (9), em São Raimundo Nonato.

    Outorgado pela Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), a personalidades não pertencentes à Universidade, que tenham contribuído para o progresso das ciências, letras, artes ou cultura e que tenham prestado serviços relevantes para a humanidade, o país ou a Universidade.

    Patrícia Mariano, servidora técnica administrativa da Univasf e uma das propositoras do título, a honorificência, aprovada pelo Conselho Universitário da Instituição de Ensino, se dá pela participação da pesquisadora na preservação da história brasileira e pelo valor de suas descobertas científicas.

    “Essa honraria concedida à Niède é garantir a ela, em vida, um título que já havia de ter recebido há muito tempo. Não que ela precise de um título, mas uma forma de reconhecimento por tudo que já fez pelo Brasil, pelo Piauí e pelo nordestino. Niède vai deixar um legado que quando não estivermos mais aqui e quem estiver vai saber que ela passou por aqui, que esse trabalho começou por ela e teve as mãos dela, legado não só para nós brasileiros, nordestinos, e sim, para o planeta”, frisou.

    Natural de São Raimundo Nonato, Margarete Coelho é uma ativista em defesa do Parque e grande admiradora do trabalho de toda uma vida da arqueóloga em defesa e desenvolvimento da região. Convidada para o evento solene, a vice–governadora destacou a relevância da homenagem e a continuidade do trabalho realizado na região.

    “Hoje é uma noite de reconhecimento por tudo que o Parque significa para a Niède e vice–versa. A mensagem dela é muito clara, faz um apelo para que depois dela, outras pessoas também se preocupem com o Parque e cuidem dele com o mesmo carinho que ela cuida. É um título extremamente justo, que tinha que ser concedido a ela principalmente por a Univasf ter o primeiro curso de arqueologia, que foi criado a partir do incentivo e inspiração dela. Então, é uma noite importante para a comunidade científica, mas também para o Parque Nacional Serra da Capivara”.

    Em seu discurso, a doutora Niède Guidon, diretora presidente da Fundação Museu do Homem Americano (FUMDHAM), entidade civil sem fins lucrativos criada por ela e outros pesquisadores em 1986 para cuidar do parque, ressaltou o trabalho que a Universidade vem fazendo na região e convocou a sociedade para ajudar a preservar o maio patrimônio arqueológico brasileiro.

    “É uma honra muito grande ser homenageada pela Univasf que completou o trabalho que a Fundação vinha fazendo aqui, abrindo possibilidades para as pessoas que já trabalhavam comigo, estudassem e se formassem. Dessa forma, temos uma equipe de jovens formados pela Univasf que vão prosseguir com esse trabalho, portanto a pesquisa na Serra da Capivara vai continuar, sobretudo, graças a Univasf. Peço por todos trabalhando juntos nessa região, pois o que existe na Serra da Capivara não existe em nenhum outro lugar no mundo, e digo a vocês, lutem para que isso seja mantido, reconhecido e que existam as condições para que o Parque se desenvolva. Temos um potencial turístico único e por isso, todos devem continuar a lutar acertando os detalhes que ainda faltam para o turismo se desenvolver”, assinalou a arqueóloga.

    Niède Guidon

    Nasceu em 12 de março de 1933, na cidade de Jaú, no interior de São Paulo. Cursou História Natural na USP e se especializou em zoologia, na mesma universidade. Em 1959, como professora, sua vida profissional começou e um pouco mais tarde, começou a trabalhar na seção de arqueologia do Museu Paulista.

    Niède doutorou-se em arqueologia em Sobornne, com especialização em pré história. E em 1966 foi contratada como pesquisadora pelo Centro Nacional de Pesquisa Científica. Desde 1973 integra a Missão Arqueológica Franco-Brasileira, concentrando no Piauí seus trabalhos, que culminaram na criação, ali, do Parque Nacional Serra da Capivara. É diretora- Presidente da Fundação Museu do Homem Americano (Fumdham).

    Deixe sua opnião